Terça-feira, 23 de Outubro de 2018

Buscar  
Economia

Publicada em 25/01/18 às 11:32h - 178 visualizações
Justiça suspende contribuição para o INSS de aposentado que continua trabalhando

Radio Santa Maria Fm


 (Foto: Radio Santa Maria Fm)


Um aposentado do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que continua trabalhando com carteira assinada conseguiu na Justiça Federal o direito de não mais contribuir para os cofres da Previdência Social. Decisão da 2.ª Vara do Juizado Especial Federal de Campinas (SP) obrigou a suspensão do desconto do contracheque do segurado relativo ao valor da contribuição. O juiz Fábio Kaiut Nunes também determinou que a empresa deixe de recolher a parte patronal.

O advogado responsável pelo caso João Badari, sócio do escritório Aith Badari e Luchin Advogados, afirma que a decisão privilegia 'o princípio contributivo-retributivo da Previdência Social'.

"Trata-se de um princípio no qual toda contribuição deve reverter em retribuição. E como o aposentado não terá mais o direito de reverter essa contribuição em seu benefício e nem uma revisão da sua atual aposentadoria, nada mais justo do que não precisar mais contribuir", defende Badari.

O advogado destaca que o juiz Fábio Kaiut Nunes aceitou o pedido em favor do aposentado ao deferir tutela provisória para suspender a cobrança da contribuição. Na decisão, foi determinado ainda que caso o segurado mude de emprego, tanto ele quanto o novo patrão não terão que descontar para o INSS.

"Defiro o pedido de tutela provisória para determinar que a União e o INSS se abstenham de exigir contribuição previdenciária sobre folha de pagamento da parte autora, e bem assim de seu empregador, quanto ao vínculo empregatício atual e/ou futuramente mantido", assinalou o magistrado.

Kaiut Nunes também decidiu que os valores da contribuição previdenciária sejam depositados em conta judicial remunerada a ser aberta pelo empregador a partir da ciência da decisão. Segundo o juiz, devem ser mantidos na conta até o julgamento definitivo da ação.

A decisão é de primeira instância, ou seja, o INSS poderá recorrer. Na sentença, o juiz não determinou que o INSS devolva o que foi cobrado até o momento. (Estadão).




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Hora Certa
Santa Maria FM (87)98811-1638

Redes Sociais


No Ar
PRIMEIRA CLASSE
Peça sua Música

  • marcos vinicios
    Cidade: jaborandi ba
    Música: all of me
  • gabriela ferreira santos
    Cidade: Santa Maria da Boa Vista
    Música: jogo do amor mc bruninho
  • tatiana lopes
    Cidade: recife
    Música: Barreiras/brunno carvalho
  • alice fernandes
    Cidade: recife-pe
    Música: A noite inteira-Brunno Carvalho
  • maria luiza
    Cidade: santa maria
    Música: Barreiras-brunno carvalho
  • Berg
    Cidade: Petrolina-PE
    Música: Recaída (Renan & Rafael)
Ouvinte do Mês




Nenhum registro encontrado




Estatísticas
Visitas: 262607 Usuários Online: 22


Bate Papo

Digite seu NOME:


Entretenimento
Imagem relacionada
Parceiros


Matutos Soluções
Copyright (c) 2018 - Radio Santa Maria Fm - Todos os direitos reservados